conecte-se conosco

Notícias

Transição Energética da ONU terá Brasil e Colômbia como líderes do diálogo global

Eles serão dois dos sete países que liderarão o diálogo global sobre Transição de Energia, que acontecerá em setembro de 2021.

Imagem: Envato Elements

Publicado

em

A Organização das Nações Unidas acolheu a indicação do Brasil e Colombia ao escolhê-los como dois dos sete países que vão liderar o diálogo global sobre Transição Energética por ocasião do Diálogo de Alto Nível sobre Energia, que acontecerá no âmbito da sessão número 76 da Assembleia Geral das Nações Unidas em setembro de 2021.

O diálogo de Transição de Energia cobrirá questões de energia renovável, eficiência energética, eletromobilidade e transições justas. Como Global Champion, Colômbia e Brasil serão responsáveis ​​por presidir consultas temáticas e formular recomendações que embasem as discussões do Diálogo de Alto Nível sobre Energia, juntamente com Dinamarca, Alemanha, Espanha, Índia e Reino Unido.

“Assumimos com entusiasmo esse compromisso como Campeão Global, reafirmando assim nosso apoio à agenda climática das Nações Unidas. Esta importante designação é fruto do compromisso do Governo Nacional com a transição energética da Colômbia, cujos avanços na incorporação de energias renováveis ​​posicionaram o país como um dos líderes indiscutíveis da região nesta área ”, disse o Ministro de Minas e Energia da Colômbia, Diego Mesa.

Desde o início da atual legislatura, a Colômbia multiplicou por 7 a capacidade instalada de fontes de energia renováveis ​​não convencionais como a solar, passando de menos de 50 MW para mais de 220 MW.

Por sua vez, o Brasil passou de 4,6 GW no final de 2019 para 7,5 GW no final de 2020, um crescimento de 64%, mesmo em meio a um ano difícil de pandemia global. Essa potência operacional é composta por usinas de grande porte e sistemas de pequeno e médio porte instalados em coberturas, fachadas e terrenos (geração distribuída), totalizando 4,4 GW.

Colômbia, membro principal do Conselho IRENA

No âmbito da XI Assembleia Geral da Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA), em 21 de janeiro, a Colômbia foi eleita o membro titular do Conselho desta organização internacional para 2021.

Em seu discurso de abertura, o Embaixador da Colômbia nos Emirados Árabes Unidos, Jaime Amin, destacou os avanços da iniciativa RELAC Latino-americana e Caribenha, promovida pela Colômbia e por meio da qual tem buscado expandir a capacidade instalada de energia renováveis ​​não convencionais em região, com o apoio do BID e da OLADE. A iniciativa, co-liderada por Colômbia, Chile e Costa Rica, conta com a participação de onze países comprometidos com uma eletricidade mais resiliente e de baixa emissão.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidos