conecte-se conosco

Notícias

STI Norland fornece 78 MW no Brasil

A fabricante espanhola fecha contrato para fornecer 78 MW de trackers solares de duas linhas em Pernambuco. Em cinco anos de operação no Brasil, já vendeu 62.000 rastreadores solares para 160 projetos.

Imagem: Envato Elements

Publicado

em

A fabricante espanhola STI Norland fechou acordo com a investidora Perfin para o fornecimento trackers solares para o projeto fotovoltaico Brígida, em São José do Belmonte, município de Pernambuco. Essa usina solar terá potência elétrica de 78,4 MWp.

O contrato inclui o fornecimento de trackers STI-H250 da STI Norland, os primeiros de duas linhas do mercado. A STI Norland foi o maior fornecedor mundial de trackers solares de duas linhas em 2019 . A empresa explica que, a par do fornecimento das estruturas, os serviços prestados no projecto solar Brígida incluem ensaios de  arrancamento , que envolvem uma análise da resistência do terreno através da aplicação de forças que simulam os efeitos do vento e estruturais peso, bem como programas de qualificação e montagem, supervisão de instalação, bem como treinamento em operação e manutenção.

Esta usina fotovoltaica é um projeto de geração centralizada, segmento no qual a STI Norland afirma cobrir quase 40% do mercado brasileiro. Em relação à geração distribuída, este fabricante é responsável por aproximadamente 90% de todos os equipamentos fornecidos.

Desde a sua fundação no Brasil em 2015, o faturamento da STI Norland foi multiplicado por quatro, atingindo 62.000 trackers solares vendidos. Além de ter concluído ou está em fase de desenvolvimento um total de 160 projetos em todo o Brasil, a empresa possui 40 projetos adicionais com entrega prevista para 2021.

Ele anunciou recentemente a sua participação na planta de Marabá , o Coremas III  planta , e o MW 474 Sol do projeto Sertão , um dos maiores da América Latina.

De 2019 a 2020, a subsidiária brasileira da STI Norland cresceu 95%, em grande parte graças a um aumento significativo na participação de mercado . A STI Norland acredita que isso se deve ao fato de que “agora existem mais possibilidades de negociação com fornecedores, em parte graças a um aumento considerável da demanda e ao fato de mais componentes dos trackers serem fabricados no Brasil, o que permite otimizar as estratégias pelos equipamentos e sua proteção, bem como garantindo os preços acordados para cada projeto ”.

A STI Norland abriu recentemente uma subsidiária na Austrália , com o objetivo de estabelecer e consolidar a sua presença nos mercados fotovoltaicos da Austrália e da região Ásia-Pacífico. Também estabelecerá ou fortalecerá sua rede de escritórios nos Estados Unidos, Austrália, África do Sul e Índia.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidos