conecte-se conosco

Notícias

Catamarã solar alimentado por módulos de heterojunção

O barco 100% solar será testado em uma expedição de 9.000 milhas náuticas do Chile à Austrália a partir de dezembro. A embarcação está equipada com um sistema fotovoltaico de 11 kW construído com módulos de heterojunção desenvolvidos pelo fabricante russo Hevel Solar.

Imagem: Hevel Solar

Publicado

em

Um catamarã projetado pelo engenheiro inglês Phil Morrison e preparado para empreender uma viagem transatlântica solo de 100 dias do Chile à Austrália será movido exclusivamente por um gerador fotovoltaico.

O navio será liderado pelo aventureiro russo Fedor Konyukhov em uma primeira expedição transpacífica solo de 9.000 milhas náuticas do Chile à Austrália, começando em dezembro.

Batizado de Nova, o navio tem 11 m de comprimento, 7 m de largura e pode atingir velocidades de 5 a 7 nós. É feito de compósitos de fibra de carbono e pesa apenas 2,2 toneladas. “O navio foi projetado para ser dividido em dois cascos e quatro seções de convés, que, juntamente com os equipamentos auxiliares, de lançamento e de montagem, caberão em dois contêineres de 40 pés”, disse Morrison em um comunicado.

O navio está equipado com um sistema fotovoltaico de 11 kW construído com painéis solares de heterojunção flexível desenvolvidos pelo fabricante russo de módulos Hevel Solar. “O custo dos elementos solares mais mão de obra e sem o sistema de armazenamento foi de 1,1 milhão de rublos, o que equivale a cerca de US $ 14.700”, disse um porta-voz do fabricante.

O sistema solar vai ocupar uma área de cerca de 66 m2 no barco e as laterais do casco também terão painéis, proporcionando 12 m2 adicionais de cada lado. “Embora não se espere que esses painéis sejam tão eficientes quanto os painéis do telhado, eles devem acumular uma preciosa energia adicional quando o sol está baixo no horizonte e a luz é refletida na superfície da água”, explicou Hevel Solar.

O sistema fotovoltaico também vai garantir o abastecimento de água doce, já que o navio está equipado com um sistema de dessalinização movido a energia própria gerada por energia solar.

O catamarã terá um sistema de armazenamento de energia projetado pela Enel X, unidade da empresa italiana Enel. O sistema é baseado em 26 baterias de fosfato de Li-Fe para garantir um fornecimento de energia estável para o sistema fotovoltaico, que pode exceder 5 kW em condições ideais. “Controladores de carga MPPT sofisticados, capazes de ajustar a corrente e a tensão para maximizar o potencial de carga, serão combinados com um sistema de monitoramento complexo que permitirá ao navio otimizar a saída de energia”, disse Morrison.

Nova afirma ser capaz de navegar de forma totalmente autônoma no oceano por até seis meses.

O navio também foi concebido com tecnologias fornecidas por Mikhail Lifshitz, Designer Geral da ROTEC JSC, especialista no desenvolvimento de métodos de acionamento de embarcações marítimas e fluviais por meio de motores elétricos, painéis solares e efeito albedo.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidos