conecte-se conosco

Notícias

Audiência pública da Semace prevê implantação de 132 MW no Ceará

O projeto prevê a implantação de quatro usinas fotovoltaicas que vão agregar 132 MW.

Imagem: Envato Elements

Publicado

em

O projeto prevê a implantação de quatro usinas fotovoltaicas que vão agregar 132 MW. Eles serão instalados na Fazenda Açude Novo, a cerca de 9 km da área urbana de Milagres, e ocuparão uma área de 348,22 hectares.

A Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará (Semace) realizou ontem, quinta-feira, 28, audiência pública relativa ao projeto das usinas fotovoltaicas do Complexo Solar da Gameleira, que será instalado na Fazenda Açude Novo , localizada na comunidade Gameleira na Zona Rural do município de Milagres.

A retransmissão faz parte do processo de licenciamento ambiental do empreendimento e foi produzida virtualmente, com transmissão ao vivo no canal do YouTube do Projeto Gameleira.

Durante a audiência, a população teve oportunidade de ter acesso às informações sobre o Estudo de Impacto Ambiental e respectivo Relatório (EIA / Rima) do empreendimento.

O projeto prevê a implantação de quatro usinas fotovoltaicas que vão agregar 132 MW. Eles serão instalados na Fazenda Açude Novo, a cerca de 9 km da área urbana de Milagres, ocuparão uma área de 348,22 hectares e o prazo inicial do projeto é de 8 meses a um ano.

A geração de empregos também foi comentada pelos participantes da audiência, já que será necessária mão de obra qualificada para a implantação das usinas na região. No inicio da construção serão utilizadas apenas máquinas, mas depois do terreno preparado vai se iniciar a montagem do parque onde entra a mão de obra. Várias medidas e projetos estão sendo desenvolvidos para impactar positivamente a comunidade no setor sócio econômico.

A energia elétrica produzida será utilizada no sistema de distribuição da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (CHESF). O Estudo de Impacto Ambiental foi elaborado pela consultoria ambiental SS Projetos LTDA, em colaboração com a Argus Engenharia Ambiental.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidos