conecte-se conosco

Notícias

10% de toda energia elétrica gerada no planeta é de matriz solar e eólica

Segundo a empresa internacional de pesquisa sobre o setor de energia (Ember), durante o primeiro semestre de 2020 as fontes solar e eólica chegaram a um recorde de 10% da eletricidade global

Imagem: Envato Elements

Publicado

em

Segundo a empresa internacional de pesquisa sobre o setor de energia (Ember), durante o primeiro semestre de 2020 as fontes solar e eólica chegaram a um recorde de 10% da eletricidade global com um crescimento de 14% em comparação ao mesmo período de 2019.

Segundo Dave Jones, analista sênior de eletricidade do Ember, “os governos precisam apertar o passo para a extinção da geração global de carvão ainda na década de 2020.

A maneira mais barata e rápida de mudar a energia vinda do carvão e do gás que são combustíveis fósseis é através da implantação de energia solar e eólica. “

Em 2015 foi assinado em Paris um tratado mundial para conter o aquecimento global.

Desde então as fontes fotovoltaicas e eólicas aumentaram muito a participação na geração da eletricidade mundial, saindo de 4.6% para 9.8%. Na China, Japão e Brasil, por exemplo, aumentou de 4% para 10%. Nos Estados Unidos subiu de 6% para 12%, e a da Índia quase triplicou, indo de 3,4% para 9,7%.

Fatores ambientais e econômicos são os pontos de partida para a ampliação e desenvolvimento da geração renovável no planeta, com base no avanço tecnológico, ganho de eficiência financeira e pela redução da emissão de CO2.

Segundo Jones, “Países em todo o mundo estão agora no mesmo caminho – construindo turbinas eólicas e painéis solares para substituir a eletricidade de usinas movidas a carvão e a gás. Mas para manter a chance de limitar as mudanças climáticas a 1,5 grau, a geração de carvão precisa cair 13% a cada ano nesta década.”

Essas informações se baseiam na revisão anual da Ember, que foi lançada em março de 2020, levando em consideração a geração de eletricidade para 48 países, representando 83% da produção.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidos